O que é Sociocracia?

Sociocracia é um método de governança de organizações que produz maior comprometimento, níveis mais altos de criatividade, liderança distribuída, harmonia mais profunda e uma aumento dramático da produtividade. Os princípios e práticas, baseados nos valores de equivalência, eficácia e transparência, são desenhados para fomentar tanto a união quanto o respeito pelo indivíduo.

Por que é diferente?

A Sociocracia confere poder ao “socius”, aos parceiros, pessoas que regularmente interagem umas com as outras e que compartilham de um objetivo em comum.  As decisões são feitas mediante consulta mútua e em consideração das necessidades de cada pessoa dentro do contexto dos objetivos da organização.

Em contraste, a democracia confere poder ao “demos”, à população, sem respeitar o entendimento das questões ou o respeito mútuo. Na democracia, a maioria do “demos” pode ignorar a minoria do “demos” quando decisões são tomadas. Isso inevitavelmente acarreta da formação de facções e geração de conflito ao invés de harmonia. Ela nos incentiva a formar alianças, trocar favores e pensar politicamente ao invés de pensar em alcançar os objetivos da organização.

Uma autocracia confere poder em uma pessoa ou um grupo de pessoas, um “auto” que pode ignorar o resto da organização e tomar decisões sem consulta.

Isso desestimula o desenvolvimento de liderança e ideias criativas na organização.

Isso também pode gerar más decisões pois elas são tomadas sem possíveis informações importantes que  outros integrantes da organização não compartilham devido a sua natureza negativa ou difícil. Enquanto que algumas associações funcionam democraticamente, a maioria é autocrática com o poder conferido à diretoria. É possível que funcionários e outros integrantes sejam ignorados. Organizações sem fins lucrativos, como empresas, quase sempre são autoráticas.

Em uma organização sociocrática, quer ela seja uma empresa, associação, ou comunidade, o poder é conferido ao processo que o distribui a todos os membros da organização. Cada pessoa tem o poder e a responsabilidade de tomar decisões que governam sua própria participação na organização.